Páginas

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

OS DEZ MANDAMENTOS

Com base em Êxodo 20, os dez mandamentos, temos nos quatro primeiros o nosso relacionamento com o Senhor nosso Deus; e nos seis restantes o nosso relacionamento com o nosso próximo

Vejamos:-

1º - V. 3 – Outros deuses, tudo aquilo que ocupa um lugar de muito destaque em nossas vidas, impedindo a nossa comunhão com Deus.

Cada pessoa vai relacionar os deuses que ocupam o lugar do Senhor em sua vida.

2º - V. 4-6 – Imagens, culto a imagens, a antepassados, "obras-de-arte", certos "bibelôs", fotos de astros, ao próprio corpo, etc. Relacionemos os cultos prestados no passado a imagens, ou se conserva ainda alguma, mesmo representando "Jesus", "fitas", etc. Relacione ainda os seus pecados e os de seus antepassados de idolatria, feitiçaria, ocultismo, espiritismo, necromancia, consagração a falsos deuses, anti-semitismo, discriminação racial, envolvimento com religiões e seitas, participação de festas de carnaval, procissões idólatras, Cosme e Damião, folia do divino, folia de reis, bumba-meu-boi, folia das almas, capoeira, halloween (dia das bruxas), etc.

3º - V. 7 – Há pessoas que invocam o nome do Senhor em quaisquer circunstâncias e ocasiões, fazendo de Deus seus fiadores quando juram pelo Seu nome. Veja Mateus 5.33 a 37 sobre os juramentos. Muitos ainda substituem-no pelo "nossa, virgem (vixi), mãe, credo", etc.; que também é idolatria.

Listemos as vezes que invocamos o nome de Deus em vão.

4º - V. 8 a 11 – O sábado. Claro que em todos os dias, horas e minutos, somos do Senhor. A Igreja em Jerusalém se reunia todos os dias (Atos 5.42). Faz-nos bem separar um dia (domingo ou qualquer outro) especialmente para o descanso do mundo e dedicação a Deus. Marcos 2.27-28.

Estes quatro mandamentos são resumidos por Jesus em Mateus 22.37:- "Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento". Deus deve estar acima de todas as coisas em nossas vidas. Vamos colocar na folha anexa tudo aquilo que nos tem impedido de dedicar esse amor ao Senhor nosso Deus.

Relacionamento com nossos próximos:-

5º - V 12 – Honrar pai e mãe. Foram eles que nos geraram e por isso devemos dedicar-lhes honra, amor e carinho. Isso principalmente em vida, pois geralmente quando os perdemos, eles se tornam nosso heróis.

Relacionemos as vezes que faltamos com o respeito com nossos pais. Caso o relacionamento com eles não seja bom, vamos também descrever.

6º - V. 13. Não matarás. O primeiro sentido de matar é o de tirar a vida de alguém, mas há outros modos de matar. Leiamos em Mateus 5.21 a 26 o que Jesus nos fala sobre o assunto. Quando se abriga ira, ódio, raiva, mágoa ou falta de perdão no coração contra alguém, mesmo "estando com a razão", nós abrigamos o desejo de morte contra essa pessoa. Também quando nos omitimos de falar do amor de Jesus, nós estamos condenando essas pessoas à morte eterna.

Vamos escrever na folha anexa as vezes que abrigamos sentimentos de morte contra alguém, também as vezes que nos omitimos de falar do amor de Cristo.

7º - V. 14 – Não adulterarás. Nas palavras de Jesus em Mateus 5.27 a 32, não apenas o ato consumado, mas também a intenção, o olhar impuro e o desejo são transgressões. Neste ponto residem grandes problemas nas vidas dos adolescentes, dos jovens e dos adultos. . Vejamos várias passagens bíblicas sobre o assunto nas cartas do apóstolo Paulo:-

- Romanos 1. 23 a 28 – Paulo fala de relações sexuais impróprias começando com

* Mudança da adoração a Deus, trocando-O por imagens,

* Paixões infames,

* Mudança do modo natural das relações íntimas,

* Relações homossexuais.

* I Coríntios 6. 15 a 20 – O nosso corpo é santuário do Espírito Santo. Assim, quando se entrega o corpo à meretriz, às imundícies, peca-se contra o santuário do Senhor.

* I Coríntios 7. 3 a 5 – Paulo trata aqui o relacionamento íntimo do casal.

Todo relacionamento sexual fora do casamento constitui-se em pecado contra Deus.

Todo adultério, homossexualismo, lebianismo; quer em atos ou pensamentos é reprovado, é abominação aos olhos do Senhor, e deles devemos fugir. Ao diabo devemos resistir, mas ao sexo ilícito, às paixões da carne devemos fugir (I Tessal. 5.22).

Vamos escrever na folha anexa os problemas sexuais do passado e presente, como: aborto, adultério, bestialismo, bi-sexualismo, exibicionismo, fantasias, fornicação, homossexualismo, incesto, masturbação, pornografia, sexo oral e/ou anal, etc. (lembre-se que a folha será destruída após o uso).

8º - V. 15 – Não roubarás. O que é furto ou roubo? A primeira visão que nos vem à mente é a de um mascarado portando uma arma e subtraindo os bens de outra pessoa. Ou a de uma porta arrombada, uma casa revirada e os bens valiosos levados. Ou um desfalque dado a uma empresa pelo seu "melhor" funcionário.

Relacionamos a seguir alguns itens que podemos classificar de furto ou roubo:- Sonegar impostos, contrair dívidas e não as resgatar, dar cheques sem fundos, emprestar e não devolver, omissão de fazer o bem, desrespeitar direitos autorais, etc.

Podemos relacionar ainda os roubos contra Deus:- deixar de entregar os dízimos e ofertas (Malaquias 3. 8 a 12), roubar o tempo dedicado a Deus para outros interesses, não acumular tesouros no céu (Mateus 6.19 a 21).

Relacionemos os nossos roubos e furtos.

9º - V. 16 – Falso testemunho. A mentira de uma testemunha perante um juiz constitui-se crime, podendo a pessoa ser presa e condenada. Lembre-nos que Deus é o Juiz de toda a terra, tudo o que fazemos Ele vê. Mentir é faltar com a verdade. A calúnia, a difamação e a propagação de boatos são falsos testemunhos.

Nunca devemos contar aos outros fatos que desabonem alguém. Em primeiro lugar porque somos mensageiros das boas novas; em segundo lugar porque de notícias más o mundo já está cheio; em terceiro lugar porque quem conta um ponto aumenta um ponto.

Somos testemunhas de Jesus e quando somos infiéis, cometemos falso testemunho contra as pessoas e contra Deus.

Leia Mateus 5. 11, 27 e 7.1, e também em Tiago 3.1 a 12 os pecados da língua.

Relacionemos nossos falsos testemunhos.

10º - V 17 – Cobiça, inveja e ciúmes. Tudo farinha do mesmo saco. Foi por ciúmes que aconteceu o primeiro homicídio da terra. Foi por inveja que entregaram a Jesus – Mateus 27.18.

A queda do diabo foi motivada pelo desejo de ser maior que Deus (Ezequiel 28. 11 a 19). Eva e Adão cobiçaram e quiseram ser iguais a Deus, conhecendo o bem e o mal.

Da cobiça, da inveja e dos ciúmes acontecem uma série de outros atos pecaminosos como roubo, adultério, homicídio, mentiras, etc.

Novamente na folha anexa relacionemos as nossas cobiças, invejas e ciúmes.

Esses seis últimos mandamentos referentes ao nosso relacionamento com o próximo são resumidos por Jesus em Mateus 22.39:- "E o segundo (mandamento) é semelhante a ele (amar a Deus...):- Amarás a teu próximo como a ti mesmo".

No amor a Deus e ao próximo está o segredo do cumprimento de toda a Palavra.

O discípulo deve ser equilibrado, ponderado e disciplinado em todas as coisas. Devemos amar o nosso próximo como a nós mesmos, então é preciso ter amor próprio, pois quem não ama a si, como irá querer o bem dos outros? Isto significa cultivarmos a autodisciplina. Não podemos ser relaxados e comilões, nem levar uma vida sedentária, isto é sem exercícios regulares e nos alimentando de forma errada.

Isto faz parte do fruto do Espírito:- amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. (Gálatas 5.22)

Vamos relacionar as coisas em que nos falta a autodisciplina, como comer demais, jogar, exagerar, dormir demais, cigarro, álcool, droga, medos, ansiedade, etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário