Páginas

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

CASAMENTO NO FIM...

LEIAM TUDO, ATÉ O FINAL... 

Naquela noite, enquanto minha esposa servia o jantar, eu segurei sua mão e disse: "Tenho algo importante para te dizer". Ela se sentou e jantou sem dizer uma palavra. Pude ver sofrimento em seus olhos.

De repente, eu também fiquei sem palavras. No entanto, eu tinha que dizer a ela o que estava pensando. Eu queria o divórcio. E abordei o assunto calmamente.

Ela não parecia irritada pelas minhas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: "Por quê?"

Eu evitei respondê-la, o que a deixou muito brava. Ela jogou os talheres longe e gritou "você não é homem!" Naquela noite, nós não conversamos mais. Pude ouví-la chorando. Eu sabia que ela queria um motivo para o fim do nosso casamento. Mas eu não tinha uma resposta satisfatória para esta pergunta. O meu coração não pertencia a ela mais e sim a Jane. Eu simplesmente não a amava mais, sentia pena dela.

Me sentindo muito culpado, rascunhei um acordo de divórcio, deixando para ela a casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa.

Ela tomou o papel da minha mão e o rasgou violentamente. A mulher com quem vivi pelos últimos 10 anos se tornou uma estranha para mim. Eu fiquei com dó deste desperdício de tempo e energia mas eu não voltaria atrás do que disse, pois amava a Jane profundamente. Finalmente ela começou a chorar alto na minha frente, o que já era esperado. Eu me senti libertado enquanto ela chorava. A minha obsessão por divórcio nas últimas semanas finalmente se materializava e o fim estava mais perto agora.

No dia seguinte, eu cheguei em casa tarde e a encontrei sentada na mesa escrevendo. Eu não jantei, fui direto para a cama e dormi imediatamente, pois estava cansado depois de ter passado o dia com a Jane.

Quando acordei no meio da noite, ela ainda estava sentada à mesa, escrevendo. Eu a ignorei e voltei a dormir.

Na manhã seguinte, ela me apresentou suas condições: ela não queria nada meu, mas pedia um mês de prazo para conceder o divórcio. Ela pediu que durante os próximos 30 dias a gente tentasse viver juntos de forma mais natural possivel. As suas razões eram simples: o nosso filho faria seus exames no próximo mês e precisava de um ambiente propício para prepar-se bem, sem os problemas de ter que lidar com o rompimento de seus pais.

Isso me pareceu razoável, mas ela acrescentou algo mais. Ela me lembrou do momento em que eu a carreguei para dentro da nossa casa no dia em que nos casamos e me pediu que durante os próximos 30 dias eu a carregasse para fora da casa todas as manhãs. Eu então percebi que ela estava completamente louca mas aceitei sua proposta para não tornar meus próximos dias ainda mais intoleráveis.

Eu contei para a Jane sobre o pedido da minha esposa e ela riu muito e achou a idéia totalmente absurda. "Ela pensa que impondo condições assim vai mudar alguma coisa; melhor ela encarar a situação e aceitar o divórcio" ,disse Jane em tom de gozação.

Minha esposa e eu não tínhamos nenhum contato físico havia muito tempo, então quando eu a carreguei para fora da casa no primeiro dia, foi totalmente estranho. Nosso filho nos aplaudiu dizendo "O papai está carregando a mamãe no colo!" Suas palavras me causaram constrangimento. Do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa, eu devo ter caminhado uns 10 metros carregando minha esposa no colo. Ela fechou os olhos e disse baixinho "Não conte para o nosso filho sobre o divórcio" Eu balancei a cabeça mesmo discordando e então a coloquei no chão assim que atravessamos a porta de entrada da casa. Ela foi pegar o ônibus para o trabalho e eu dirigi para o escritório.

No segundo dia, foi mais fácil para nós dois. Ela se apoiou no meu peito, eu senti o cheiro do perfume que ela usava. Eu então percebi que há muito tempo não prestava atenção a essa mulher. Ela certamente tinha envelhecido nestes últimos 10 anos, havia rugas no seu rosto, seu cabelo estava ficando fino e grisalho. O nosso casamento teve muito impacto nela. Por uns segundos, cheguei a pensar no que havia feito para ela estar neste estado.

No quarto dia, quando eu a levantei, senti uma certa intimidade maior com o corpo dela. Esta mulher havia dedicado 10 anos da vida dela a mim.

No quinto dia, a mesma coisa. Eu não disse nada a Jane, mas ficava a cada dia mais fácil carregá-la do nosso quarto à porta da casa. Talvez meus músculos estejam mais firmes com o exercício, pensei.

Certa manhã, ela estava tentando escolher um vestido. Ela experimentou uma série deles mas não conseguia achar um que servisse. Com um suspiro, ela disse " Todos os meus vestidos estão grandes para mim". Eu então percebi que ela realmente havia emagrecido bastante, daí a facilidade em carregá-la nos últimos dias.

A realidade caiu sobre mim com uma ponta de remorso... ela carrega tanta dor e tristeza em seu coração..... Instintivamente, eu estiquei o braço e toquei seus cabelos.

Nosso filho entrou no quarto neste momento e disse "Pai, está na hora de você carregar a mamãe". Para ele, ver seu pai carregando sua mão todas as manhãs tornou-se parte da rotina da casa. Minha esposa abraçou nosso filho e o segurou em seus braços por alguns longos segundos. Eu tive que sair de perto, temendo mudar de idéia agora que estava tão perto do meu objetivo. Em seguida, eu a carreguei em meus braços, do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa. Sua mão repousava em meu pescoço. Eu a segurei firme contra o meu corpo. Lembrei-me do dia do nosso casamento.

Mas o seu corpo tão magro me deixou triste. No último dia, quando eu a segurei em meus braços, por algum motivo não conseguia mover minhas pernas. Nosso filho já tinha ido para a escola e eu me vi pronunciando estas palavras: "Eu não percebi o quanto perdemos a nossa intimidade com o tempo".

Eu não consegui dirigir para o trabalho.... fui até o meu novo futuro endereço, saí do carro apressadamente, com medo de mudar de idéia...Subi as escadas e bati na porta do quarto. A Jane abriu a porta e eu disse a ela "Desculpe, Jane. Eu não quero mais me divorciar".

Ela olhou para mim sem acreditar e tocou na minha testa "Você está com febre?" Eu tirei sua mão da minha testa e repeti "Desculpe, Jane. Eu não vou me divorciar. Meu casamento ficou chato porque nós não soubemos valorizar os pequenos detalhes da nossa vida e não por falta de amor. Agora eu percebi que desde o dia em que carreguei minha esposa no dia do nosso casamento para nossa casa, eu devo segurá-la até que a morte nos separe.

A Jane então percebeu que era sério. Me deu um tapa no rosto, bateu a porta na minha cara e pude ouví-la chorando compulsivamente. Eu voltei para o carro e fui trabalhar.

Na loja de flores, no caminho de volta para casa, eu comprei um buquê de rosas para minha esposa. A atendente me perguntou o que eu gostaria de escrever no cartão. Eu sorri e escrevi: "Eu te carregarei em meus braços todas as manhãs até que a morte nos separe".

Naquela noite, quando cheguei em casa, com um buquê de flores na mão e um grande sorriso no rosto, fui direto para o nosso quarto onde encontrei minha esposa deitada na cama - morta.

Minha esposa estava com câncer e vinha se tratando a vários meses, mas eu estava muito ocupado com a Jane para perceber que havia algo errado com ela. Ela sabia que morreria em breve e quis poupar nosso filho dos efeitos de um divórcio - e prolongou a nossa vida juntos proporcionando ao nosso filho a imagem de nós dois juntos toda manhã. Pelo menos aos olhos do meu filho, eu sou um marido carinhoso.

Os pequenos detalhes de nossa vida são o que realmente contam num relacionamento. Não é a mansão, o carro, as propriedades, o dinheiro no banco. Estes bens criam um ambiente propício a felicidade mas não proporcionam mais do que conforto. Portanto, encontre tempo para ser amigo de sua esposa, faça pequenas coisas um para o outro para mantê-los próximos e íntimos. Tenham um casamento real e feliz!

Se você não dividir isso com alguém, nada vai te acontecer.

Mas se escolher enviar para alguém, talvez salve um casamento.

Muitos fracassados na vida são pessoas que não perceberam que estavam tão perto do sucesso e preferiram desistir..

UM CASAMENTO CENTRADO EM CRISTO É UM CASAMENTO QUE DURA UMA VIDA TODA.

Autor Desconhecido.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

RANKING DOS PAISES QUE MAIS PERSEGUEM OS CRISTÃOS...

Com base em experiência de campo em missão, o “Portas Abertas” publicou uma lista com 50 países que mais oprimem cristãos. O relatório considera dois aspectos da perseguição religiosa: o contexto da perseguição e as diferenças de acordo com as comunidades.

Ao final da pesquisa, foram classificados os 50 países mais intolerantes à fé cristã. Em primeiro lugar ficou a Coreia do Norte, com classificação de perseguição ilimitada. Essa posição do ranking já é da Coreia há 11 anos consecutivos. Outro país que subiu de posição foi o Iraque, que está nos primeiros cinco da lista, pulando da 9ª para a 4ª posição dentre os cinquenta países. Lá cristãos têm sido perseguidos notavelmente desde 2003, quando houve a invasão liderada pelos Estados Unidos que derrubou o regime de Saddam Hussein. Desde então os cristãos têm sido alvo constante de grupos radicais islâmicos que atuam no país.

Mali, Tanzânia, Quênia, Uganda e Niger também compõe essa lista. Outros países também tiveram suas posições elevadas. É o caso da Síria que subiu 25 posições; da Etiópia que subiu 23 e da Líbia com 9 posições acima.

“A boa notícia é que a perseguição tende a estar relacionada com o crescimento e o testemunho. E refina e fortalece a fé dos cristãos, não o oposto. Ou seja, o aumento das pressões contra o cristianismo mostra que a Igreja está crescendo”, afirma Missão Portas Abertas.

Alguns países também saíram da lista, como é o caso de Cuba, Bangladesh, Chechênia, Turquia e Belarus. Porém, isso não significa que nestes não há perseguição. A missão pediu que estes países também fossem alvos de oração, já que a intolerância ainda continua. “Alguns países deixaram o ranking, mas não devem sair da sua lista de orações, já que a perseguição não acabou”.

Veja a seguir a Classificação de Países por Perseguição em 2013:
 

 Com informações do Christian Post
 

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

COMO VIVER UMA VIDA VITORIOSA

1º Leia a Palavra diariamente (Sl 119:9) - Não há arma mais forte contra Satanás como a Palavra de Deus. O Senhor Jesus a usou contra satanás no monte da tentação. A palavra é o molde com que o Espírito Santo forma o novo homem à semelhança de Cristo ( Rm8:29)
 
2º- Ore diariamente de forma comprometida e de coração (1Ts 5:17) - A oração é um poderoso alimento fortificador para o Espírito humano. A primeira causa de desviar-se de alguém do caminho do Senhor é acha-la na negligencia na oração e na falta de observância da Palavra de Deus. “Precisamos ter ousadia no orar a Deus”. (Tg 4:2)

3º- “Seja fiel a Deus” Sempre leio em alguns carros a frase “Deus é fiel”, porem nunca li em nenhum carro a frase “eu sou fiel a Deus”. Se a sua comunhão com Deus for quebrada por algum descuido, por algum pecado, ou por qualquer outra coisa, confesse e fique livre da culpa (Sl 51:14; Jo 1:19)

4º- Evite confrontos e falatórios desnecessários. “Evangelho não se discute, Evangelho se anuncia” Se alguém vier e quiser contradizer a sua fé e duvidar da sua conversão, é melhor ficar calado e tranqüilo e procurar orar a Deus com a pessoa do que defender-se e discutir ( “pois o servo de Senhor não deve contender mas ser amável para com todos...( 2Tm 2:24). Se ele for indiferente à verdade, diz-nos a Palavra de Deus: “Aparta-te dos tais”( 1Tm 6:5)

5º- Não seja influenciado pelo mundo, pelo contrario influencie-o. A Palavra do Senhor nos ensina a não concordar com este século, mas pelo contrário devemos nos transformar pela renovação de nosso entendimento (Romanos 12:1-2). Infelizmente muitos não conseguem influenciar o mundo com o Evangelho, levando até ele os valores do Reino de Deus, ao contrário disso são influenciados trazendo assim os modelos do mundo para sua vida, família tornando-se então vulnerável aos ataques do inimigo.

6º- Seja um exemplo e fale de Jesus a outras pessoas. Testemunhar do Senhor Jesus é sempre muito bom, mas, não deixe que isto seja para você uma obrigação e uma carga. Como uma vela acesa ilumina um quarto escuro sem o menos esforço, assim você deve estar tranqüilo no lugar que o Senhor lhe colocou, iluminando ao seu redor com a graça de Deus lhe der. ( Mt 5:14).”Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte;” em Mt 14:3.

7º- Experimente ser guiado pelo Espírito Santo, abrindo seus ouvidos para ouvi-lo e abrindo seus olhos para ver a direção dada pelo doce Você só poderá andar de poder em poder, de glória em glória pelo Espírito do Senhor, quando olhar a Jesus e seguir a palavra de Deus. (2 Co 3:18). Não há, no caso do crente a extinção da glória, como se dera com Moisés. O Senhor cumpriu a sua promessa e derramou o Espírito sobre nós (Joel 2:28).

8º- Ame o Senhor Jesus sobre todas as coisas. Comece por você a amar e adorar a Cristo de todo o seu coração, entregue a ele seus sentimentos, não fique dividido entre o amor a Jesus e a coisas e pessoas, amem a Jesus antes de todos( Ef 3:17).

9º- Busque respostas para suas dúvidas em Jesus, ele pode te responder e te ajudar. Antes de tudo tenha o Senhor Jesus como seu auxílio, porque Ele é mestre em ajudar. É tão bom, que é ele mesmo que vem ajudar. ( Is 35:4). “O Senhor fará maravilhas operando milagres que excedem tudo quanto seria possível imaginar, busque o conselho do Senhor e você verá maravilhas.

10º- Não pense que a volta de Cristo está demorando, lembre-se: Ele virá como um ladrão na noite. Jesus disse, “venho sem demora!” ( Ap 3:11). Isto lhe serve de encorajamento para aguardar o Senhor Jesus em breve nas nuvens para te arrebatar, juntamente com os santos que foram lavados e remidos com Seu precioso Sangue. Também lhe servirá para estar vigiando e orando em todo o tempo, sem esmorecer.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

AGENDANDO O PR ABILIO ROCHA


PARA QUE SERVE O JEJUM?

O QUE É O JEJUM?

Definição do termo em si: Jejum é um ato físico que consiste em abster-se de comida ou bebida, total ou parcialmente, durante algum ou certo périodo de tempo. O jejum é uma abstinência voluntária. Ele pode ser total ou parcial. O jejum é praticado pela humanidade em todas as épocas, nações, culturas e religiões. Pode ser com finalidade espiritual ou até mesmo medicinal, através dos benefícios físicos com a desintoxicação que é produzida ao corpo.

O QUE É O JEJUM PARA O CRISTÃO?

Benefícios físicos, êxito ministerial na ministração da Palavra. Dotação e capacitação de poder, discernimentos espirituais são consequências e resultados do nosso Jejum. Mas não são o objetivo principal do jejum. Todas essas coisas são otimas para a nossa vida cristã. Mas elas não podem e não devem tomar o lugar de Deus como o centro principal do jejum.

O jejum infelizmente é praticado de uma maneira errada por muitos cristãos e nas campanhas as quais as igrejas realizam. Deus recebe, mas como um sacrifício de louvor e adoração. Não necessáriamente como o sacrifício de jejum em si. Se o objetivo do jejum não for para Deus, com certeza será um fracasso.

QUAL É O JEJUM CORRETO?

A 1ª coisa a ser feita. Conhecer a estrutura física do seu corpo. O ser humano tem um dispositivo físico natural chamado de relógio biológico. O funcionamento desse relógio se divide basicamente em três fases ou vigílias, de acordo com o fuso horário de 24 horas.

O funcionamento do relógio biológico natural é diferente de uma pessoa para outra. Depedendo de como está a vida sedentária (falta de qualquer atividade física) da pessoa. E logicamente de como está a qualidade alimenticia. Ou seja, o que a pessoa come. As três fases são:

ALIMENTAÇÃO – Das 7 da manhã às 7 da noite. É o conjunto das substâncias de que um indivíduo costuma alimentar-se.

ABSORÇÃO – Das 7 da noite às 7 da manhã. É a função pela qual as células do corpo utilização para filtrar e separar em seu meio interno, as substâncias, os minerais e vitaminas que lhes são necessárias para o melhor funcionamento do organismo em um todo.

ELIMINAÇÃO – Das 6 da manhã às 11 da manhã. É quando o corpo elimina através das fezes, urinas e suor tudo o que não é aproveitado pelo organismo. Se uma pessoa não entender o funcionamento do seu relógio biológico, ela não vai realizar o jejum de uma forma correta.

Para entender a essas fases (Alimentação, absorção e eliminação). A pessoa deve observar com atenção aos horários em que ela mais sente fome, e também os horários em que ela realiza as suas necessidades fisiológicas. Por exemplo: Uma pessoa que diz as 7 horas da noite que vai jejuar até ao meio dia do dia seguinte, na realidade ela não esta jejuando. Pelo contrário, ela esta se alimentando muito bem.

Porque meio dia ainda esta dentro do horário da absorção. Ou seja, o seu corpo ainda esta utilizando a reserva alimentícia do que foi absorvido no mínimo 8 horas antes. Alguns tipos de alimentos por exemplo, demoram até 10 horas para serem totalmente eliminados do nosso organismo. Quando uma pessoa não respeita o funcionamento do seu relógio biológico, além de se alimentar de forma errada. O seu organismo estará sempre entre duas fases; absorção e eliminação (descontrolado).

Após conhecer o funcionamento do seu corpo em relação ao seu relógio biológico. A pessoa saberá então o melhor horário para realizar o seu jejum (seja ele total ou parcial). Uma forma certa é ficar a noite anterior sem comer nada. E apartir das 6 horas da manhã iniciar o jejum. Jejum físico é sacrificar o corpo (carne) no momento e horário em que ele mais necessita do alimento. Não existem regras determinadas na Bíblia sobre quando jejuar ou qual tipo de jejum praticar, isto é totalmente pessoal.

O princípio básico para o jejum é: “ABSTER-SE VOLUNTARIAMENTE DE ALGUMA COISA QUE VOCÊ GOSTA DE FAZER COM A FINALIDADE DE DEDICAR MAIS COMUNHÃO COM DEUS”.

Dentro desse princípio é possível praticarmos jejum de internet, festas, esportes, ou qualquer outra coisa em nossas vidas as quais gostamos de realizar. Lembre-se a razão principal do jejum é para se ter uma intimidade maior com Deus. Conforme a constância desse relacionamento. Com certeza, os propósitos, metas e objetivos acontecem pela conseguência natural de comunhão com Ele.

ÁGUA NÃO É OPÇÃO DE ALIMENTO

Água é necessidade, e o nosso corpo depende dela. Uma pessoa normal contém em seu corpo aproximadamente 30 litros de água, necessária para resfriar o corpo (75% do seu peso). Além disso, a água transporta as substâncias tóxicas que sobram da nutrição para serem eliminadas pelos rins e intestinos. Sem água no limite máximo de três dias, o nosso corpo entra em colapso.

Em cinco dias depedendo da situação fisica da pessoa ela pode falecer. Há registros de pessoas que suportaram até 42 dias sem comer. Sem água, porém, a resistência é bem menor e o estado de saúde torna-se bastante grave após cerca de 72 horas. Sem a ingestão de alimentos, o organismo começa a queimar suas reservas de energia, principalmente as gorduras. Depois delas, consome as proteínas que compõem os tecidos. Numa pessoa saudável, existe um equilíbrio entre a quantidade de líquidos ingeridos e eliminados. A perda desse equilíbrio no máximo em 7 dias é o suficiente para matar.

Te aconselho adaptar o seu organismo de uma forma adeguada a qualidade do seu jejum. Por exemplo: Não comece um jejum prolongado, comece de uma forma crescente (aos poucos), assim o funcionamento do seu metabolismo não será afetado em um todo. Em outras palavras Deus não quer que você perca qualidade de vida buscando mais intimidade e comunhão com Ele. Mais aos poucos você irá adaptar o tempo de qualidade de jejum. Mas sem perder e respeitando a qualidade de saúde do seu corpo.

Por favor quando você estiver orando, ore pelo meu ministério, por mim e pela minha família! Deixe o seu nome, que eu também estarei orando por você e pelos seus. Graça & Paz.
 
Rev. Carlos Andrade

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

QUAL O SIGNIFICADO DE PANO DE SACO NA BIBLIA?

Por que pessoas na Bíblia vestiam-se de pano de saco?

Pano de saco era um tecido rústico usado em várias aplicações, citado freqüentemente na Bíblia como um tipo de vestimenta. Roupas de pano de saco serviam para comunicar certas emoções ou atitudes às outras pessoas.

Em termos gerais, a roupa de pano de saco mostrava a angústia da pessoa. Mas, angústia e perturbação podem serresultados de vários fatores e, por isso, observemos alguns motivos mais específicos para o uso desse tecido.

1. Sinal de tristeza e lamentação, especialmente devidas à morte ou às calamidades (Salmo 35:13-14; Isaías 15:1-3; 32:9-12; Ezequiel 27:29-32; Joel 1:8,13; Amós 8:10). Quando Jacó recebeu a notícia (falsa) da morte de José, seu filho predileto, ele "rasgou as suas vestes [outro sinal de angústia], e se cingiu de pano de saco, e lamentou o filho por muitos dias" (Gênesis 37:34). Quando Abner foi morto, Davi ordenou ao povo: “Rasgai as vossas vestes, cingi-vos de panos de saco e ide prateando diante de Abner” (2 Samuel 3:30-32). Quando saiu a ordem do rei da Pérsia autorizando a aniquilação dos judeus, Mordecai “se cobriu de pano de saco e ... clamou com grande e amargo clamor”. Os outros judeus mostraram sua angústia com o mesmo sinal de luto (Ester 4:1-3). Este sinal, às vezes, acompanhava a mensagem triste de profetas (Apocalipse 11:3-6).

2. Evidência de humildade, especialmente de um suplicante (Salmo 30:8,10-11). Ezequias e os outros líderes de Judá se vestiram de pano de saco quando este entrou na presença de Deus para pedir livramento da ameaça assíria (2 Reis 19:1-3,14-19). Ben-Hadade e seus soldados se vestiram de pano de saco e pediram a clemência do rei Acabe de Israel (1 Reis 20:31-32). Daniel disse: “Voltei o rosto ao Senhor Deus, para buscá-lo com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza” (9:3).

3. Demonstração de arrependimento (Mateus 11:21; Lucas 10:13). Os ninivitas ouviram as advertências do profeta de Deus e se converteram, cobrindo-se de pano de saco (Jonas 3:5-9). Depois do cativeiro babilônico, os filhos de Israel jejuaram, trouxeram terra sobre si e se vestiram de pano de saco quando chegaram a confessar seus pecados diante do Senhor (Neemias 9:1-4).

Na aliança de Cristo, não achamos ordens exigindo o uso de pano de saco, cinzas, etc., mas ainda devemos mostrar mudanças no nosso comportamento como pessoas transformadas pela palavra do Senhor (Romanos 12:1-2). Isaías advertiu os israelitas do perigo de usar atos externos insinceramente; a verdadeira conversão precisa ser acompanhada de frutos do arrependimento (Isaías 58:1-10; cf. Mateus 3:8).

ELIAS, O TISBITA

A lição nº 2 da revista Lições Bíblicas, comentada pelo Pr. José Gonçalves, professor de teologia, vice-presidente da Comissão de Apologética da CGADB, nos faz refletir que Deus usa pessoas simples para missões importantes.

Quem era Elias?

Além do profeta, existem outros três personagens bíblicos chamados Elias. O primeiro deles era sacerdote benjamita (1 Crônicas 8.27) . O segundo e o terceiro foram um sacerdote e uma pessoa leiga nas coisas religiosas, que se casaram com mulheres estrangeiras (Esdras 10.21, 26). 

Exceto a referência ao profeta em 1 Reis 17.1, que nos informa que Elias era tisbita, um dos moradores de Gileade, não há informação sobre seu passado, nem se quer os detalhes de seu chamado ministerial e informações sobre sua família. Ele aparece nas páginas das Escrituras Sagradas de maneira repentina e sem introdução pormenorizada.

O ministério de Elias pode ser descrito como determinado pelo Espírito Santo através de grandes ações impactantes. Ele é precursor dos profetas escritores, as suas mensagens antecipam os oráculos de Amós e Oséias, traz à memória dos israelitas a necessidade de adoração exclusiva ao Senhor e os padrões de retidão contidos no Código Mosaico. 

Comparações entre Moisés e Elias 

A vida de Elias é comparada em muitos aspectos com a de Moisés. 

No Antigo Testamento, o Monte Sinai também é conhecido como Monte Horebe. O episódio da passagem de Elias na região é bastante relevante e fortalece o paralelo entre ele e Moisés, que viveu no mesmo local experiências extraordinárias com Deus. 

Os ministérios de Moisés e de Elias foram marcados com a presença do fogo (Êxodo 13.21; 19.18; 24.17; Números 11.1; 16.35; 1 Reis 18.38; 2 Reis 1.10, 12).

O fim da jornada terrestre de Moisés é cercada de mistério, de igual modo existe uma aura misteriosa ao fim da caminhada de Elias (Deuteronômio 34.6; 2 Reis 2.11).

Elias recebeu o acompanhamento leal de Eliseu e por ele foi precedido, assim como Moisés teve como companheiro de jornada o amigo Josué, que o substituiu em seu ministério (Deuteronômio 34.9; Josué 4.14; 2 Reis 2.14).

Referências neotestamentárias

Malaquias profetizou que Deus enviaria Elias antes do grande e terrível Dia do Senhor (4.5, 6). Jesus Cristo esclareceu que essa profecia fazia referência à semelhança de ministerial entre Elias e João Batista, à maneira direta como ambos se comunicavam e à simplicidade como viviam e se vestiam (Mateus 11.14; 17.12).


Elias reapareceu em pessoa no monte da transfiguração e é citado por Jesus em Nazaré: Marcos 9.4; Lucas 4.25, 26.

Cartas apostólicas citam Elias: Romanos 11.2-4; Tiago 5.17-18.


E.A.G.